segunda-feira, 25 de abril de 2011

L'Osteria del Generale

Dica rápida sobre uma cantina simples, aconchegante, com atendimento espertíssimo e comida deliciosa.

Outro dia fomos apresentados à Generale pelo casal de amigos Porti e Helô. O restaurante fica na Rua Pamplona, nos Jardins. Fomos numa trempa de umas 10 pessoas pra detonar o que estivesse à frente.

Logo na entrada já nos sentimos em casa. Mesas de madeira com toalhas xadrez, ventiladores, famílias inteira sentadas à mesa... além de camisas de time de futebol penduradas no teto. Quer ambiente mais ítalo-tupiniquim que esse?

Sentados à mesa, fomos servidos muito bem do começo ao fim por dois garçons muito simpáticos. Caras que sabem onde trabalham, veteranos que gostam da coisa e que dominam o cardápio do começo ao fim.

De entrada, atacamos umas azeitonas pretas gigantescas, uma cesta de pão italiano com sardela e berinjela curtida, além dessas torradinhas temperadas com parmesão, alho e umas ervinhas bem saborosas. Advinhe só? Nos empanturramos.


Então pedimos os pratos. Atenção: um prato serve duas pessoas facilmente. Eu e Maricota fomos de gnocchi com almôndegas. Massa artesanal - deliciosa! - com molho bem temperado (daquele que você sente o gosto de tomate, mesmo, sabe?). Mas estávamos tão cheios de torradas, pão italiano e azeitonas que as almôndegas acabaram sobrando no prato...


Resultado: saímos rolando de lá! Com cervejas e refrigerantes, pagamos cerca de R$ 50 por pessoa. Ponto positivo: a Generale aceita VR.

Lá fora, os manobristas trazem seu carro e não cobram pelo serviço. Se você se sentir à vontade, deixa um troco pra rapaziada. É ou não é um restaurante família?

Nota 10 pelo serviço, pela comida e pelo ambiente aconchegante. E pela conclusão: faltam restaurantes em São Paulo que te lembrem que, para ter uma experiência bacana, basta apostar no óbvio e no simples.

domingo, 17 de abril de 2011

A conversa da mesa ao lado

Nos posts sobre o Ritz e Arturito - dois restaurantes que são tidos por muitos como uns dos melhores da cidade - eu já havia comentado rapidamente sobre a conversa da mesa ao lado.

Num restaurante, você não é o único a comer naquele lugar. Sabe disso, mas tem que fingir que ignora "um pouquinho" o que as pessoas fazem ao seu redor (a menos que a proposta do restaurante seja outra, mais interativa).

Resultado: tem gente que consegue, tem gente que não consegue - e tem gente que nem se liga que está ouvindo a conversa alheia.

Semana passada, dando risada com um casal de amigos, cheguei à conclusão que isso rola com todo mundo!

Eu tinha me esquecido do assunto, até que me deparei com um verdadeiro manual avançado sobre o problema no ótimo blog Um Litro de Letras.

Pois bem, esse post foi escrito para divulgar outro post.

Até!