quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Lá da Venda

Uma das coisas que aprendemos nas férias foi curtir os Cafés. No sentido mais amplo da palavra, que é sentar num estabelecimento comercial onde são vendidos cafés, outras bebidas, refeições pequenas, salgados, tortas... Olhar o movimento, conversar, beliscar alguma coisinha. Nada daquele clima mais formal dos restaurantes.

Pois bem, na última semana das férias, já de volta ao Brasil, fomos conhecer alguns cafés em São Paulo. E caimos no Lá da Venda, onde o clima é o mais informal possível. Localizado na Vila Madalena, é uma vendinha à moda antiga. Pelo teto, muitas coisas penduradas, salames, queijos. Tem produtos de papelaria, artesanato, panos, mantas, almofadas, toalhas, roupas em crochê, bolsas, necessaires, camisetas, acessórios, boneca de feltro, ioiô, pião, bilboquê, chapéus, cestas, cigarro de palha.... UFA! Tudo lindo, bem disposto pela casa, próximo ao mesmo balcão onde estão as comidinhas.



Nós fomos numa sexta-feira por volta de 17h. E só nós, mais ninguém ocupando uma mesa. Escolhemos um lugar no jardim interno, muito mais charmoso do que a também graciosa varanda com vista pra rua.



Embora não houvesse ninguém pra comer, havia muita gente pra trabalhar. Acho que contamos umas oito pessoas dentro daquela casa. Só para atender o pessoal, imaginamos.

Mas embora haja muita gente o serviço não é o forte do Lá da Venda. Lento, pouco atencioso. Tive que levantar por duas vezes para pedir no balcão, mesmo com muitas pessoas trabalhando e ninguém na casa além de nós. Pode até ser que o intuito seja esse, mas ninguém nos avisou do esquema "lá em casa".
Quanto a comida, ficamos numa tortinha bem saborosa. Eu fui de tomate cereja e o Gabi escolheu queijo de cabra, outro vício que ele adquiriu na viagem. A torta chegou morna, a massa estava bem feita, leve e macia. O recheio do tomatinho e de queijo é generoso, dá uma olhada:



Eu, que não resisto a um chocolate, pedi o que eles chama de fondant. Uma espécia de petit gateau, só que mais consistente, sem aquela calda que faz a maior meleca quando você corta o bolinho. Veio com uma bola de sorvete. Bem gostoso, mas aconselho dividir!


Confesso que perdemos a notinha e não sabemos o valor exato dessa experiência. Gabi lembra que foi algo em torno de R$ 60, por dois sucos, duas tortinhas, um fondant e os 10% daquele serviço capenga. Acho caro. Em outros restaurantes pagariamos um pouquinho a mais por uma refeição mais completa.

Pelo ambiente lindinho e aconchegante e pela qualidade da comida vou dar nota 7 para o Lá da Venda. Os três pontos perdidos ficam por conta do atendimento, que precisa ser mais atencioso e eficiente. Afinal, por que havia tantas pessoas trabalhando ali dentro? De qualquer maneira, recomendamos a visita. Vai que você dá mais sorte do que a gente?

Obs: mais depoimentos sobre o Lá da Venda vocês encontram no Aventuras Gastrônomicas. As meninas estiveram lá e também reclamam do atendimento, que foi muito pior com elas do que com a gente.

Um comentário:

  1. depois de ler o comentário de vcs e do Aventuras, decidi não me dar ao trabalho de dar chance a este lugar.

    odeio ser mal atendido!

    vlw pelo aviso! :P

    []s

    PS: Keep up the good work!

    ResponderExcluir