segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Lamen Kazu

Essa é a história de uma refeição que inspira e transpira cultura. E ela começa no bairro da Liberdade, num sábado cinza, bastante gelado e meio chuvoso. O herói desse dia, em que tudo conspira para ser perdido debaixo de um cobertor, é japonês. Não, não é o Gabi.


E também não é esse barbeiro com quem cruzamos por lá.

Nosso herói é um prato que atende pelo nome de Lamen. Muito popular no Japão, é um macarrão mergulhado num caldo quente com diversos "apetrechos". Cada casa de lamen desenvolve o seu caldo e acessórios. Será que dá pra dizer que é o arroz com feijão deles? Alguém aí poderia nos ajudar? Bom, o fato é que na Liberdade, bairro típico oriental onde se passa a nossa história, há várias casas de lamen. E lá fomos nós enfrentar o mau tempo atrás de um bom caldo com macarrão.

Os guias nos indicaram o Lamen Kazu e o Aska. No segundo, a fila estava imensa. No primeiro, aturável. No Kazu, decidimos aguardar a meia hora indicada pelo garçom, um oriental pequenino e muito simpático. Esperando com a gente, várias famílias e casais japoneses. Todo mundo bastante habituado, já pegando o cardápio, fazendo pedidos... Sim, fazendo pedidos. O Kazu não tem área de bar pra você ficar petiscando enquanto aguarda, então o garçom que controla a lista de espera se prontifica a adiantar os pedidos. Genial, não?

Então fomos fuçar no cardápio. Tudo em japonês, que maravilha! Mas deve ter algum bom infografista trabalhando para o Kazu, porque o cardápio é ultra explicativo. Olha só essa foto cheia de detalhes com todas as explicações necessárias pruma boa escolha:


Você não se sentirá desamparado. Se sobrar alguma dúvida, o garçom que te recebe na porta pode ajudar. 

Depois de 30 ou 40 minutos de espera, conseguimos sentar. Como já havíamos feito o pedido lá fora, os pratos não demoraram nem 5 minutos pra chegar à mesa. Nossas lombrigas agradeceram a agilidade!

O lamen é incrivelmente bom. Uma festa de sabores e aromas, num casamento perfeito. O caldo, que é a base do prato, é extraído de ossos de suínos e frangos e aí misturado a um molho. Nós pedimos um misso (pasta de soja fermentada), mas poderiamos ter escolhido shoyu, por exemplo.

Esse é o Misso Negui, pedido por mim. Os apetrechos são: Menma (broto de bambu em conserva, fatias grossas, mas macias), Moyashi (broto de feijão), Nirá (folha de alho, uma ótima surpresa, de gosto bem marcante), Shiragá Negui (cebolinha nebuka fatiada bem fininha, de consistência meio áspera), Tyashu (uma fatia de carne de porco cozida), Nori (folha de alga) e Cebolinha.


Gabi foi de Misso Tyashu, um prato bem parecido, mas sem a Shiragá Negui, apenas com a cebolinha tradicional.


O lamen é um macarrão delicioso. Para quem está acostumados aos miojos, a idéia é mais ou menos a mesma, com a determinante diferença de que o miojo é industrializado e cópia de uma massa super leve e maçiça. O lamen harmoniza demais com o caldinho e os outros ingredientes do conjunto, não tem nada a ver com aquela cara de água suja (e boa, inegável) do miojo.

Para acompanhar, arriscamos uma porção de guioza. Digo arriscamos porque faz tempo que não comemos isso em rodízio, por conta da gordura e da falta de sabor. Pois é, mas no Lamen Kazu descobrimos que guioza pode sim ser bom - e muito bom. A massa deles é extremamente leve, parece cozida no vapor. Na foto só existem três sobreviventes, mas a porção chega à mesa com cinco unidades.


Aos fins de semana, o restaurante fecha às 15h. Meia hora antes o garçom parou de montar a lista lá fora. Lá dentro, já confortáveis depois de comer bem e sentindo estar na sala de casa, duas vezes vieram nos perguntar se queriamos mais alguma coisa da cozinha, que já estava se preparando para fechar.

Agora atenção para os preços, muitos camaradas! Os dois pratos gigantes, a porção e dois refrigerantes nos custaram R$ 66.

A disciplina e atenção japonesa no atendimento, a minúcia no preparo do prato e a descoberta de sabores que nunca havíamos provado antes fazem com que o Lamen Kazu entre para o hall dos restaurantes Hors Concours do nosso blog. Nota 10 seria pouco para essa experiência fantástica que vivemos no bairro da Liberdade. Não é toda hora que grandes restaurantes estão escondidos em casinhas pequenas e simples, sem grandes propagandas e divulgação. Os heróis, afinal, conseguem resgatar coisas simples da vida - como tornar um dia frio e chuvoso num dos dias mais marcantes das nossas experiências gastronômicas! 

9 comentários:

  1. Quando tiverem oportunidade, experimentem também o Aska, que também é muito bom. Estou adorando o blog de vocês. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Mônica!
    Pois é, o Aska já nos foi recomendado algumas vezes. Devemos uma visita ao local - apesar de estar sempre lotado...
    Obrigado pelo comentário e fique por perto!!!
    Abraços,
    Gab's e Mari

    ResponderExcluir
  3. Fala Gabi!
    Eu não fui nesse Kazu, mas o Asuka realmente é mto bom.
    qto ao "arroz e feijão" japonês, eu diria que em questão de semelhança, não em popularidade, seria o Kare (Curry para nós, brasileiros) é um prato apimentado, servido tradicionalmente com metade do prato de arroz e a outra metade com o molho com curry, legumes (geralmente batata e cenoura) e carne. uma variante famosa seria com um pedaço de Tonkatsu (lombo de porco empanado e cortado em tiras). Tem um restaurante novo, simples e rápido, que serve esse prato na frente do Asuka, custa 17 reais o Tonkatsu Kare, se não me engano. Vale a pena para experimentar, mas não é o melhor que já comi :P

    quanto ao gyouza, esse realmente é dificil de achar um bom, mas recomendo o Rong He, um restaurante chinês, onde a massa do lamen é feita na hora e à mão, e o custo/beneficio é extremamente favorável!
    fica na Rua da Glória 622, próximo à rua são joaquim.

    []s

    ResponderExcluir
  4. Fala, Renato!

    Quanta novidade que vc nos trouxe!!!

    Vamos fazer o seguinte: prometemos que vamos ao Aska, enquanto vc vai ao Kazu. Depois trocamos impressões, ok!?

    Legal essa do Kare, não sabíamos. Vamos tentar encontrar esse restaurante lá na Liberdade!

    O Ron He é outro que entra pra nossa lista. Haja $ e pança!!!!

    Abraços e valeu pelo comentário,

    Gabs e Mari

    ResponderExcluir
  5. Como eu já fui no Aska e no Lamen Kazu, deixa eu fazer algumas comparações... em termos de lamen, o caldo do Aska tem o sabor mais fraco (mas não menos saboroso) e, na minha opinião, a massa do lamen é mais saborosa. Quanto ao ambiente, o Lamen Kazu é mais bonito, mas em comparação, os preços são mais altos que do Aska. O que não acho muito legal no Aska é que por causa das filas, há uma certa "pressão" pra desocuparmos a mesa assim que terminamos a refeição. Mas no final das contas, vai do gosto do freguês.
    Eu gosto dos dois, mas meu marido prefere o Aska.
    Quanto ao karê, pra mim, é um dos melhores pratos japoneses, já que adoro curry. Tinha um restaurante no Top Center especializado em karê (C.B. Curry House) que infelizmente fechou. Não conheço esse restaurante em frente ao Aska, mas vou aproveitar a dica e experimentar.

    beijos,

    ResponderExcluir
  6. para complementar a informação:
    o restaurante "fast food" q tem kare e fica em frente ao Aska é chamado EBIS.
    meu prato japonês favorito é Kare Udon, q é o Udon (macarrão grosso de trigo sarraceno, ensopado, semelhante ao lamen) com molho de curry, excelente. tem esse prato no Ebis tb, mas o prato de kare é mais saboroso!

    quanto à pressão do Aska, eu vou fazer uma comparação, estive no Japão em 2007 e o Aska é IGUAL às casas de lamen de lá! inclusive no quesito fila e na pressa para comer e deixar o outro comer, mas como eu como rápido, pra mim não é problema. mas realmente, nós não estamos acostumados a isso, preferimos sentar calmamente e conversar durante a refeição. mas compreendo tb q o Aska não tem espaço para isso XD
    ah e um problema do Aska é só aceitar dinheiro para o pagamento.

    o Rong He é bem barato! 1 porção de Yakisoba caprichada (guenta 3 pessoas até!), se não me engano custa 35 reais!

    []s

    ResponderExcluir
  7. Amigos,
    Que aula de culinária japonesa.... fantástico!
    Eu que não conheço muito estes pratos estou só anotando as dicas!

    Só tenho que agradecer, obrigado!
    Abs.,
    Braguinha

    ResponderExcluir
  8. Gabriel e Mari,

    Amei o blog e vou ao Kazu em breve. Depois eu conto aqui. Pra quem gosta de lamen, o Pub Key no prédio do Top Cine na Paulista é muito bom também. Já fui lá algumas vezes com o meu marido e nunca nos arrependemos!
    Parabéns pelo blog!!

    Dani

    ResponderExcluir
  9. Dani,

    Que ótimo que curtiu o blog e mto obrigado pela dica... com certeza logo menos vamos ao Pub Key.

    Abração!

    ResponderExcluir