domingo, 25 de outubro de 2009

Viciado em tudo isso (Mc Donald's)

É simplesmente injusto exigir que a geração Coca-Cola odeie Mc Donald's. Quando crianças, colocaram na nossa cabeça que o McLanche Feliz era legal - e obrigávamos nossos pais a frequentar o Mc ao menos uma vez por mês só para ganhar um brinquedinho novo.

Na adolescência, o Mc é como um ponto de escapismo. Você consegue se desprender dos pais e vai com os amigos ao shopping. Depois de um cineminha, bate a fome e alguém solta: "vamos ao Mc?". Sim, claro... pra onde mais iríamos? Então os meninos se apaixonam pelo Big Mac, porque é o maior lanche de todos - e você quer provar que aguenta "tudo aquilo". Já as meninas começam a variar os lanches, porque elas sempre estão um passo à frente.

Aí você começa a dar uns peguinhas numa paquera, mas ainda não tem carro. Nada melhor: faça o mesmo programa de antes, só que agora de mão dada. Aí, para provar que você é um ficante legal, pede o mesmo lanche da sua companheira e descobre que o Mc tem muito mais a oferecer. A explosão de sabores é fascinante.

Vem a Copa do Mundo, você prova lanches de "diversos países". Então vem uma campanha de "conheça todos os lanches", e lá vai você provar um por um, número por número - inclusive o de peixe. Peixe?


E então você tira a habilitação de motorista e começa a rodar pela cidade. Come em lanchonetes diferentes, em restaurantes bacanas e até se esquece da maior rede fast food do mundo.

Melhor: cria um blog de gastronomia porque quer dividir experiências com a galera e simplesmente risca o Mc Donald's das possíveis saídas.

Então, num desses lapsos de ex-viciados, você e sua namorada percebem que o Mc é a saída mais rápida e prática para matar a fome quando vocês estão em dois carros separados numa sexta-feira à meia-noite. E lá fomos nós.

Os pedidos: um Quarteirão para a madame e um Cheddar McMelt para o cavalheiro.

Daí a gente começou a reparar porque tentou sair dessa vida. Cito:

1. A bandeja estava suja de catchup e de sal antes mesmo de os atendentes servirem o pedido. Conclusão: o povo da limpeza não fez a funça;

2. Duas moscas ficaram zanzando na nossa mesa, uma até entrou no pacote de batatinhas. Mosca vai atrás de carniça. Conclusão: você está comendo algo parecido com podre;

3. Quando você abre a caixinha do lanche, olhe para a tampa. Invariavelmente, ela estará com uma mancha nojenta de gordura e/ou de sangue. Conclusão: ... precisa de conclusão?

Por essas e outras, o casal confessa que tem lutado contra o vício McDonaldiano com muito afinco. Ronald e sua turma não têm graça faz tempo, mesmo assim habitam nossas mentes como se fosse preciso comer um McLanche para ser feliz.

Destilamos uma nota 2, porque as batatinhas e os nuggets continuam sensacionais, e porque o preço ainda é dos mais baratos. E mais: a rede aceita VR!

Um convite aos visitantes: contem suas historinhas perversas sobre o Mc e o seu vício. Quem sabe a gente não publique um livro, faça um protesto e até ganhe um lanche de graça?

*Imagens: Reprodução

4 comentários:

  1. Vi que seu blog era sobre restaurante e vim correndo visitar, adoro comer fora, visitar restaurantes novos!
    Li todo o texto do Mc Donalds, achei ótimo! Não tenho nenhuma história pra contar pq realmente não frequento, é muito raro me dar vontade de comer um big Mac! :-) Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Mc Donalds não dá, sério mesmo....
    No meio de tantos restaurantes maravilhosos que estão aqui, o "Mc" ficou um estranho no ninho!
    Abs,
    BRAGUINHA

    ResponderExcluir
  3. Nossa meo...eu amo mc'dolnads!!
    Só que num vou lá há séculos:(
    E eu ODEIO o Ronald(pq eu tenho culrofobia-medo de palhaço.Ninguém merece aquele cara!)
    Pamela

    ResponderExcluir
  4. o ranking que eu acho de todos os fast food caros são:
    1-mc donalds (amo muito tudo isso)
    2-giraffas (vem no giraffas é muito bom)
    3-burger king
    4-bob s
    5-habib s

    ResponderExcluir