quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Bar Veríssimo

Há algumas semanas, quinta-feira foi dia de happy hour do povo do trampo. O local escolhido é um velho conhecido de quem trabalha na região da Berrini.

Veríssimo dá nome ao bar na Rua Flórida porque, como não poderia ser diferente, homenageia o escritor gaúcho homônimo. O local é completamente tomado por elementos decorativos que remetem ao Luis Fernando Veríssimo que ama jazz, o Internacional de Porto Alegre, as crônicas que destila. Pendurados ou grudados nas paredes, os cartoons, as camisas do time do coração e as divertidas capas de revistas e livros remetem os visitantes da casa ao universo do tal gaúcho.


"Bom", você pensa, "então vamos escolher o que beber e comer". Eis que você abre o cardápio e... tcharam! Lá está ele: Luis Fernando Veríssimo e seu universo em diversos nomes de prato. Títulos de livros, expressões gaúchas, etc, etc, etc dão nome a petiscos, lanches, sobremesas e bebidas.

Mas calma lá, apesar do exagero ao culto verissimiano (e gaúcho), o bar é muito bom, tem um ambiente agradabilíssimo, atendimento de primeira e, olha lá, chopp bem tirado. Quando chegamos, tivemos que esperar uns 45 minutos para vagar uma mesa. Enquanto isso, tomamos chopp em pé, do lado de fora.

No fim, ainda pedimos alguns petiscos. Afinal, a proposta do local é ser "um bar para comer e não um restaurante para beber". Lá fomos nós de porções de pastéis (carne, queijo e palmito - bem sequinhos) e linguiça apimentada com catupiry e farofa. Pelo tanto que todo mundo comeu, posso dizer que estava ótimo.

O preço é salgado. No fim deixamos algo em torno de R$ 40 cada. Mas vale a pena, principalmente quando os happy hours da firma são raros!

Nota 8 para o Veríssimo, porque não sou muito de ficar esperando por uma mesa e porque o culto ao deus cronista poderia ser mais contido.
*Imagem: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário