quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Quitandinha

São Paulo é, de longe, a megalópole mais agitada do planeta. Digo isso de olho fechado, seja por todos os movimentos culturais que rolam por aqui (independentes ou acompanhando o mundo), pelo caos em que se transformou a locomoção de um canto a outro, pela dimensão territorial que a cidade ganhou ou pelo burburinho da noite que vem se solidificando cada vez mais.

Quer uma prova? Então diga lá: em que lugar da Terra terça-feira é dia de beber até cair?

Pois bem, pelo menos na Vila Madalena essa é a regra: peça um chopp, ganhe outro de graça. Estratégia de marketing? Indústria desovando cerveja ruim? Não importa, só sei que deu certo!

A idéia, na semana passada, era de o casal fazer um happy hour no São Cristóvão na ilustre companhia de Braguinha e Carol, Cajuzinho e Thais. Mas às 21h00 o bar já estava lotado!!! Sem previsão de desocupar alguma mesa, andamos dois quarteirões e chegamos ao Quitandinha, onde havia duas ou três mesas livres.

Mal nos sentamos, no lado de fora, já pedimos um chopp, uma porção de fritas e outra de polentas fritas - a Mari inclusive experimentou uma polenta e curtiu! O bar fica na agitada e movimentada esquina das ruas Fidalga e Aspicuelta. O intenso fluxo de carros e pessoas deixa o clima bem paulistano. Chega até a ser difícil ir ao banheiro, de tão próximas que as cadeiras e mesinhas ficam umas das outras.

Depois de um papo bom e de mandar ver nas porções e nos chopps, saímos pagando R$ 20 cada casal - a metade do que pagaríamos em qualquer outro dia da semana.

Nota 7 para o Quitandinha porque é um bar normal e, sinceramente, não consegui achar uma identidade nele, muito menos algo no cardápio ou no atendimento que empolgasse. Além da economia, o destaque da noite, mesmo, ficou por conta dos casais amigos - cuja companhia não tem dia nem hora: é sempre divertida em dobro.

Um comentário:

  1. Boa Gabs, diversão garantida é sair bem acompanhado!
    Abraços e hoje tem mais! rsrs
    Braguinha

    ResponderExcluir