domingo, 16 de agosto de 2009

Tocador de Bolacha

O anfitrião deste blog completou 23 anos e pela primeira vez em quatro anos de namoro resolveu reunir os mais chegados pruma comemoração. Entre pequenas discussões e umas quase desistências (ô menino esquentadinho), escolheu o Tocador de Bolacha, um bar na Vila Madalena, para celebrar. O critério que mais pesou na escolha, fora o ambiente, foi o fato de lá a comanda ser individual. Ótimo esquema porque o aniversariante, último a ir embora, sempre acaba tendo de pegar uma conta monstra.

Quando eu cheguei ao bar, quase 23h, a festança já rolava solta. O Gabi estava parecendo pinto no lixo no meio de tanta gente querida, todos embalados pelo ótimo som de uma roda de samba e choro que rola sempre às sextas-feiras. A mesa foi montada num corredor do lado externo do bar, que o Gabi achou apertado, mas muito aconchegante. Atenção para os acentos de mesa, capas de vinis, ou bolachas (agora sim o nome do bar faz sentido), consagrados. Muito bacana e intimista.

Todo mundo bebericou de cerveja Original gelada. Iam chegando à mesa, uma trás de outra, sempre na temperatura certa. Às vezes a gente ia pegar na cozinha mesmo, quando o serviço demorava um pouquinho mais. Eu pedi uma calabresa na cachaça pra dividir com o pessoal que estava bem feita, mas não deliciosa. Também vi circular pela mesa carne seca e caldinho de feijão, mas não experimentei.

No fim, achei que o Tocador é um lugar bem gostoso pra comemorar com amigos: espaço agradável, comida bem feita, cerveja gelada e música boa. Do que mais a gente precisa quando a companhia também é a melhor possível?

Não me lembro quantas cervejas foram marcadas na minha comanda e na do Gabi, mas o valor total, com a porção de calabresa e o couvert (tinha esquecido de mencionar que a casa cobra R$ 12 pra entrar) foi R$ 101. Cinquenta por pessoa é muito justo. O post foi meu, mas a nota quem dá é o aniversariante: 9, porque ele achou que ficamos num lugar apertado demais.

O.b.s: essa foi nossa primeira saída depois que a lei que proíbe o fumo em lugar fechado passou a vigorar. Não vi ninguém desrespeitando... quem queria fumar ia pra calçada. O casal, que não fuma, está acostumado a dividir a mesa com fumantes, então nós nem somos os mais ativistas contra o cigarro. Mas como é bom respirar melhor e voltar pra casa livre do cheiro ruim...

* Imagem: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário