quinta-feira, 9 de julho de 2009

Koi

Voltamos do recesso. E pra começar as experiências gastronômicas de julho escolhemos um restaurante japonês. Uma busca no Google e estava escolhido o destino: Koi, nos Jardins. Site interessante, preço dentro do orçamento e boas críticas a respeito. Fomos experimentar.

Quando chegamos, por volta das 21h, o salão não estava cheio. Bem comprido, devia ter umas sete mesas ocupadas. Tem um pé direito alto, é bastante arejado, o balcão onde são preparados os sushis fica no centro, dividindo a área de fumantes e não fumantes. O ideal seria ficar bem longe da fumaça do cigarro, mas acredito que já já isso não será mais um problema.

E vamos logo ao que interessa: o Koi não tem esquema de rodízio. O que ele tem é um prato, o Teishokoi, que tenta te convencer que é um mini rodízio, com a possibilidade de experimentar um pouco de tudo, com cinco opções de entrada, um missoshiru, um gohan, um grelhado, fatias limitadas de sashimi e alguns sushis.

Agora a tradução: as opções de entrada são quase todas saladas, e muitos parecidas. Não compensa pedir cinco. O missoshiru é aquela sopinha, que é bem gostosa, mas que não é a vedete de um restaurante japonês. O gohan é o arroz, que você já espera comer o suficiente enrolado nos sushis. Sashimi limitado, na minha opinião, é a maior sacanagem. E os sushis oferecidos não são os mais gostosos que a casa faz.

Nós acabamos ficando na porção de shimeji e shitake. Matou a fome, mas não deixou saudade. Precisava ter chegado à mesa um pouquinho mais quente. Nem pedimos o clássico temaki porque o crime não compensava: R$ 24 por um que tem o tamanho de todos os outros pelos quais costumamos pagar no máximo R$ 15! Pra arrematar, pedimos um prato com sashimis e sushis a base de salmão. Peixe fresquinho, num bom tamanho pra matar a fome.

Duas bebidas + porção de shimeji + barca de salmão + 10% = R$ 140. Não dá pra desmerecer o que o Koi tem, e que é imprescindível num japonês: peixe fresco. Mas ele não foge à regra, nem empolga. Não me remeteu a nada e nem me fez descobrir um novo sabor. Por isso acho o preço salgado demais. Quanto ao serviço, sem reclamações. Aliás, é esse quesito que vai ajudar a manter o Koi na média: nota 5.

Imagem: reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário