quinta-feira, 23 de abril de 2009

Arte e Sabor - Paraty

Depois de um almoço farto, de uma boa caminhada pelo centro de Paraty e de um descanso gostoso no hotel, fomos conhecer a cidade sob céu escuro. A noite, Paraty é tão aconchegante quanto de dia. As ruazinhas de pedra ficam cheias de turistas, as vozes dos cantores ecoam de dentro dos bares e há muitos artistas de rua.

Apesar de todo esse clima, eu não estava pronta para comer. A sensação era de que não fazia nem três horas eu tinha acabado de mandar ver naquela moqueca do Caravelas. Mas o Gabi estava animado a procura de um restaurante, e eu não queria ser a chata pra dizer que ainda não era a hora de comer novamente. Enrolamos um pouco pra escolher, e quando finalmente decidimos entrar no Arte e Sabor, uma fominha já apitava bem aqui dentro.

Foi o restaurante mais simples em que comemos. Não me lembro do cardápio oferecer muitas opções, mas o forte ali era pizza. A gente fugiu do óbvio pra cair no mais óbvio. Nossa escolha foi um prato de filet mignon com arroz e batatas fritas.

O filet não era mingnon, mas ainda assim estava macio. Veio grelhado, numa cama de alface, e com gosto de... carne! Faltou um temperinho pra agradar ao paladar. As batatas estavam gostosas, crocantes, e o arroz soltinho, com grãos grandes. Comemos bem, sem exageros.

A comida não era excepcional. Como eu disse, é um prato óbvio, que não exige muita habilidade. Mas a missão foi cumprida: carne com batata é sempre uma boa pedida e o prato serviu bem duas pessoas.

Prato para dois + duas cocas + 10% (merecido, garçom atencioso e eficiente) = R$ 48. Nota 7 para o Arte e Sabor, que não cria na arte e nem no sabor, mas que ainda assim mata a fome.

Nenhum comentário:

Postar um comentário